Escolha uma cor para o fundo:  


Lição 20 - Como unir-se ao Povo de Deus?
Texto Básico: João 15:1-10 // Verso Áureo: Atos 2:47

INTRODUÇÃO DA LIÇÃO
O primeiro passo do leitor será o de localizar este povo. Ele existe, pois Jesus mesmo disse que com Seus discípulos estaria todos os dias até a consumação dos séculos. A Mulher resistiu no deserto, protegida por Deus, pelos três tempos e meio, a feroz e implacável fúria do anticristo, apoiado pelo dragão. Nestas 40 lições estudadas, o leitor já está apto para reconhecer os movimentos que não são de Deus e que estão comprometidos com a besta. Os frutos representam o melhor sinal de identificá-los e o conhecimento da verdade é a forma eficaz de se romper e sair definitivamente de Babilônia. Ficar indeciso é risco!

QUESTIONÁRIO
1. É possível estar em Jesus ou com Ele, desligado, afastado ou fora de comunhão com Sua Igreja?
A Igreja é um corpo. É o Corpo de Cristo e a Bíblia afirma haver um só corpo, (Efés. 4:4; 1:22, 23; I Cor. 12:12) ou seja, só uma Igreja. Da mesma forma que Jesus é um só, Ele só pode ter um corpo. Fora da Igreja é estar fora do corpo e desligado da Cabeça, Cristo. Jesus mesmo disse que o ramo que não estiver nEle ligado, secará (João 15:6).

2) Pode um homem justo e temente a Deus, não estar salvo?
Sim. Cornélio era justo, temente a Deus e recebeu até mesmo a visita de um anjo, e não era salvo. Pedro foi incumbido pelo Espírito Santo a lhe dizer “coisas, por meio das quais ele seria salvo.” (Atos 10:1-4, 22; 11:13,14). Todos aqueles em quem Deus operava a salvação, os colocava em contato com a Igreja para que recebessem o batismo de remissão em nome do Senhor Jesus Cristo e fizessem parte do corpo de Cristo, a Igreja.

3. E se a pessoa estiver ligado em alguma denominação ou “igreja”, que não a Igreja de Deus? Existem outras “igrejas” também servindo a Deus?
Nas Escrituras só existe espaço para uma Igreja, um povo de Deus. Se admitirmos como correto a existência de “outras igrejas”, forçosamente teremos que crer na existência de mais de um Jesus.

4. Qual é a única forma bíblica de alguém se ligar ao povo de Deus?
Uma vez provado um arrependimento sincero, o batismo das águas é o passo definitivo que liga a pessoa a Cristo e à Igreja. Não existe outro meio. Os homens inventam vários outros processos mas para Deus nada representam. Uns são recebidos mediante votação, outros por um acordo de união ou por profissão de fé, mas nenhum destes métodos tem apoio bíblico. Várias passagens das Escrituras nos provam que, após crerem, as pessoas eram imediatamente batizadas. Se o crente fica indeciso e não se batiza, não pode se considerar um remido e a responsabilidade de sua salvação não é do ministério. Exemplos de batismos realizados imediatamente:

João pregava e batizava = Mat. 3:3
Três mil batizados no mesmo dia = Atos 2:37-41
Filipe pregou e batizou o Eunuco de imediato = Atos 8:35-39
Crendo e sendo batizados = Atos 8:12
Cornélio chamou Pedro que lhe ordenou batismo (Mat. 27:25) = Atos 10:47,48
Mulheres criam e eram batizadas = Atos 16:15
O carcereiro batizado de madrugada = Atos 16:25,33
Saulo procurou Ananias e foi logo batizado = Atos 9:18; 22:10,16

Como se vê, ninguém ficava esperando para ser batizado. Creu, estava ciente e arrependido dos pecados - batismo! Nada de esperar este ou aquele.

5. Pode a legítima Igreja reconhecer batismos e ordenações ministeriais praticadas nas denominações religiosas atuais?
Não. As denominações religiosas, além de apresentarem vínculo com a “igreja papal”, pelos princípios doutrinários que ensinam, não pregam o Evangelho do reino de Deus. São responsáveis com Roma pelos inúmeros ensinos pagãos inculcados na mente dos crentes, entre os quais destacamos a imortalidade da alma, a morada no Céu e a celebração do culto ao deus-sol (pela guarda semanal do domingo e do natal). Na verdade, o convertido a Deus, acaba se mergulhando mais ainda no paganismo e a Igreja de Deus não pode reconhecer batismo e ordenação oficiados nestes movimentos. Se a Igreja reconhecer tais ofícios, automaticamente estará se descaracterizando como a Igreja que veio do deserto, aceitando vínculos com Roma.

6. Não seria egoísmo e arrogância ignorar os ofícios realizados nas religiões, como se só a Igreja de Deus estivesse certa?
Temos que ser coerentes. Se cremos em um só Cristo e que Ele tem um único corpo, como apresentar tantas religiões e divisões como sendo Seu Corpo. Outra atitude seria admitir que Cristo está dividido, o que não é e nem pode ser verdade. Na Igreja dos apóstolos, nem sequer se admitia pensamentos diferentes. Se for nossa intenção negar a Palavra para ficar bem com as denominações, então aí vamos reconhecer a tudo o que aparecer. Hoje, além dos movimentos ligados a Roma, têm surgido outros que se levantam do nada. Sem terem batismo ou qualquer ordenação tais aventureiros entram na água e um batiza o outro. No fundo já se sabe que fazem assim porque não querem se subordinar a ninguém e já querem começar “por cima”. E assim, pobres almas vão sendo arroladas nestes e em outros grupos, esperando algo que mui provavelmente nunca irão alcançar.

A Igreja tem que ser definida. Ou defende a verdade como ela é ou entra “no esquema” de todos os religiosos. Coerência não pode ser entendida por arrogância!


Para mais informações:
benepocas@msn.com
Ou ligue para Min. Benedito Poças
Telef: (0XX)68.3222-7636

Voltar