Escolha uma cor para o fundo:  



Lição 60 - O Sustento da Obra de Deus

OBJETIVO DA LIÇÃO
Provar a necessidade e a responsabilidade do povo de Deus em contribuir com os dízimos e as ofertas, para a manutenção da Casa de Deus, o que inclui o sustento do ministério e o funcionamento dos organismos e sua administração.

INTRODUÇÃO
Deus tem um serviço sacerdotal, por meio do qual se relaciona com os homens. Este serviço envolve toda uma estrutura, que se compõe de imóveis, móveis, equipamentos e, sobretudo, de pessoal qualificado e dedicado exclusivamente a Deus. Sem isto, fica difícil, senão impossível cumprir Seus planos e fazer Sua Obra. O primeiro sacerdócio, foi o de Melquisedeque. Este já recolhia os dízimos. Abraão foi o primeiro a participar. Posteriormente, com um contingente muito maior de pessoas e serviços, Deus estabeleceu o sacerdócio aarônico ou levítico. Em Cristo, volta em cena o sacerdócio de Melquisedeque, sendo o próprio Senhor Jesus, o Sumo Sacerdote. Para administrar Sua Obra, selecionou uma das doze tribos: a de Levi. Para sua manutenção, determinou dois tributos: dízimos e ofertas.

QUESTIONÁRIO
1. Em qualquer sacerdócio, como seria possível manter a Obra de Deus?
Gên. 14:17-20; 28:22; Heb. 7:1,2; Mal. 3:7,8. Com dízimos e ofertas.

2. Qual é a diferença entre dízimos e ofertas?
Dízimo é a décima parte de nossos lucros líquidos ou salários. Não se conhece um bom dizimista pelo valor, mas pela pontualidade e o compromisso com Deus. É uma contribuição justa e igual para todos. Entregar o dízimo é uma obrigação!
Ofertas: Nesta sim, aparece o crente dedicado, pois não é estipulado o valor. Aqui, muitas vezes o pequeno e mais humilde, se projeta (Marcos 12:41-44; I Reis 17:12-16). Os ricos davam, quem sabe, boas ofertas, mas do que lhes sobrava. A pobre viúva, porém, deitou duas moedas que valiam um quadrante, mas que representava “todo o seu sustento”. A viúva de Zarefate, colocou tudo o que tinha para alimentar ao profeta Elias. Deus aprecia os que lhE demonstram fé e amor!

3. A que se destinam os dízimos e ofertas e quem deve administrá-los?
Mal. 3:10; Núm. 18:1, 6-8,13,21,24,30,31. Deveriam ser entregues na Casa do Tesouro, na Casa de Deus, e destinava-se à manutenção dos levitas que trabalhavam integralmente para o Senhor ou ministravam em Seu Santuário. Aos levitas competia cuidar da Casa de Deus e da administração dos recursos. Os dízimos também se destinam hoje a missões, evangelismo e atendimento ao campo. Não se deve usar dinheiro proveniente dos dízimos, para compra de imóveis ou construção de templos. Estes recursos devem sair de ofertas especiais (Êxodo 35:21-29; 36:3-6).

4. Que sucedeu numa época em que não foi dada a porção dos levitas?
Neemias 13:4-13. Neste caso, Eliasibe, o sacerdote que presidia e administrava os recursos da Casa de Deus, estava sustentando um parente seu, Tobias, e não dava a parte dos levitas. Estes, para sobreviverem, abandonaram ao serviço e se foram. Pessoas que não tem controle sobre seus negócios e vida financeira, não devem se envolver com tesouraria ou recursos da Obra de Deus.

5. Como devem proceder os autônomos, empresários ou associados, na questão do dízimo?
Devem entregar rigorosamente o dízimo de todo o lucro líquido. Erram e estão roubado a Deus, os que apresentam somente o dízimo das retiradas. Se tiver sócio, desconte a parte deste. Nos balancetes, se houve diferença, acerte tudo. Se o teu capital cresceu e não foi dizimado, você está devendo para Deus! Dê, igualmente o dízimo de sua produção, seja da lavoura ou dos animais!

6. A quem pertence dízimos e ofertas e tudo mais?
Lev. 27:30; Salmo 24:1; Ageu 2:8; Salmo 50:10,11; Deut. 8:18. Tudo pertence a Deus. Nós, na verdade, administramos Seus bens; somos Seus mordomos. Deus, no entanto, só requer de nós uma parte. Não são sábios os que não querem partilhar com Deus ou que, até no mínimo que Ele requer, querem extorqui-lo!

7. É correto o dízimo na Nova Aliança? Devem pastores se ocupar em tempo integral e viver do Evangelho?
Mat. 23:23; Núm. 18:21; I Cor. 9:11-14; I Tim. 5:18; Gál. 6:6. A principal finalidade dos dízimos e ofertas é o sustento e ampliação do Ministério. Não podemos reter ou paralisar o investimento destes recursos na Obra de Deus, pois estaríamos retardando o crescimento da Igreja e da salvação de preciosas almas. Não é correto reter dízimos em poupanças ou deixar de entregá-los na Casa do Tesouro de Deus.

8. Como agiam os primitivos cristãos face a responsabilidade da expansão da mensagem do Reino de Deus? É bom sermos generosos na Obra de Deus?
Atos 4:32-37; 5:1-3; I Cor. 9:1,2,6-9. Os irmãos viviam em comum, não tinham por seus os bens que possuíam, e chegavam a vender propriedades e depositar os valores aos pés dos apóstolos.

9. Onde devemos entregar os dízimos e ofertas? Podemos colocá-los em qualquer movimento evangélico?Entregar dízimos em qualquer lugar não é sabedoria e pode representar transgressão. É como se não tivéssemos entregue. Imagine pagar o INSS para um supermercado ou dividir o valor para pessoas necessitadas? Quando requerer sua aposentadoria, o governo, com toda a razão, vai lhe dizer não!


Para mais informações:
benepocas@msn.com
Ou ligue para Min. Benedito Poças
Telef: (0XX)68.3222-7636

Voltar